O Fisco é a autoridade fazendária do País, ele tem a função de controlar e fiscalizar o recolhimento de impostos nas mais variadas esferas e também é responsável pelas leis tributárias. Mas não seria prático se apenas 1 órgão controlasse todos os níveis de impostos do País, por isso o Fisco se divide em 3 esferas : Federal, Estadual e Municipal onde cada esfera tem suas responsabilidades e regras para fiscalizar o pagamento dos impostos.

Fisco Federal: Como o próprio nome diz, é a autoridade máxima quando o assunto é tributação. Ele é responsável pelo controle e fiscalização de impostos de níveis nacional. O exemplo mais conhecido nesse nível federal é o Imposto de Renda, mas podemos citar também o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) , COFINS (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) e o PIS (Programa de Integração social).

Fisco Estadual: É responsável pelo controle das leis tributárias dentro de cada estado. Um exemplo desse tipo de imposto é o ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias), assim como o IPVA (Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores).

Fisco Municipal: O Fisco Municipal faz o mesmo tipo de controle, mas para a tributação de cada município em específico. É o caso, por exemplo, do Imposto Sobre Serviços (ISS) prestados dentro do município em questão.

Pela diversidade de tributos e regras às quais empresas precisam se adequar, alguns erros são comuns. Eles estão na mira do Fisco, já preparados para fiscalizar onde empreendedores acabam falhando no controle interno.

Entender e estar em dia com o Fisco é o melhor caminho. Vale lembrar que, independente do tipo de erro, o não pagamento de um tributo devido é encarado como sonegação pelo Fisco. E, no caso de erros, ainda existe a cobrança de multas e juros como compensação pelo atraso.

Encontrou sua resposta?